janeiro 21, 2016

Detalhes

"Comemos à patrão, arroz de marisco, sobremesa tarte de maracujá (estava excelente) pedimos café, enquanto abro o pacote de açúcar ela fica a olhar para mim, parada, expectante... 
-Que foi? Pergunto eu. 
-Nada, foi a forma como abriste o açúcar! 
-E quê? 
-Adorei a delicadeza como rasgaste o açúcar e deixaste no café. 
Fico a pensar, os detalhes, esses que fazem a diferença, nas coisas que fazemos, e sem se dar por isso, estamos à ser observados e avaliados.

-Subiste mais uns pontos. Diz ela!
-Sou um gajo das obras fino! Respondo com um sorriso."

Do livro, "Mais Uma Vez", de um autor que ainda não é conhecido.


5 comentários:

  1. E quando está a pensar apresentar o "ainda" desconhecido?
    Não vai dar uma de invejoso, ou vai?
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em breve. Melhor ser um ilustre desconhecido, que um conhecido a quem ninguém liga.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar