agosto 16, 2011

Cronicas da vida de um Gajo qualquer.





Decorria o ano de 199....e não sei quantos!!! de um verão quente, aliás todos os Estios são quentes, e eram cinco da tarde...

-Despachem-se, temos que ir à Pont'Aveleira ainda!!
A Pont'Aveleira era um enorme poço que se formara na junção entre duas ribeiras uma delas era a que dividia a minha Aldeia ao meio, arrumamos tudo, todos dentro da carrinha os vidros abertos para entrar o o ar que a toyota Hiace cortava.
-Vamos à Pont'Aveleira depois vamos até às Meãs! as "francesas" já cá estão todas!!
-Sim, vamos lá meter nojo!!

E estava feito o programa! As francesas eram filhas de emigrantes, que a cada inicio de Agosto chegava com os pais para uma merecidas (digo eu) férias na terrinha! E nós cá estávamos para as receber de braços abertos, Claro que para mim e o meu "fratello" o francês não era nada de mais, afinal era a nossa língua antes de vir para Portugal, o que nos dava uma ligeira vantagem.

Terminado o banho no poço, ir a casa comer algo, botar uma roupas decentes, um colete de ganga todo riscado a esferográfica com símbolos que nem eu sabia o que eram (e fui eu que os fiz)!!! Lá fomos para a aldeia do lado, nesse ano, tinha vindo uma "avec" nova, Celine de seu nome, cabelos longos apanhados, com uns óculos que nem me recorda a marca mas que lhe ficam bem! ficamos a falar um pouco...
-Oh, Jack andaaaaaa!!! estão ali a dizer que nos querem malhar aos matraquilhos!!
- Sim, sim... excuse moi j'y vais la haut jouer au baby-foot, tu veut venir?
Ela disse que não com a cabeça!
- "Que raio de altura para jogar aos matrecos" !!!
Lá fui eu para dentro da casa do povo jogar, ganhei, voltei a ganhar, e mais...e mais...até que disse à cambada que não queria jogar mais, queria lá saber dos bonecos para alguma coisa!! de repente aparece a moça dos cabelos longos, com a sua primita de sete anos, perguntei se tomavam alguma coisa, encolheram os ombros...e eis que a pequenita se virou para mim e me disse...
-Jack, Elle t'aime...
-Oui je sais, moi aussi je vous aime.
-Non... pas comme ça!! elle t'aime même...

(como poderia alguém amar outro alguém em três horas? foi a minha primeira pergunta...e como poderia alguém amar-me?? a mim?? ao eu?? ao je?? naaaaa... a mim ninguém me ama, nunca ninguém me quis... )
Ali... sem saber o que dizer...olhei para a menina dos longos cabelos, corei, descorei, mudei de cor vinte mil vezes e até olhei para o chão...
-On vas dehors!!
Acabei por diz!!!
______________________

Corpo de linho, lábios de mosto
Meu corpo lindo, meu fogo posto
Eira de milho, luar de Agosto

1 comentário:

  1. Boas recordações de tempos passados ... Sem nada mais que convívios álcool e boas grilhadas .... Ainda dizia-mos "Olha pra isto! Hoje em dia vê-se : homens ao bar mulheres a dançar" mas hoje em dia já nem matrecos agrada aos jovens tirando a net nem coragem tem de falar correctamente a alguém ... Lamento a realidade.

    ResponderEliminar