junho 22, 2010

Estive a pensar...

Dormi, nem sei sequer se foi muito ou se pouco foi mas sei que tenho sono,estou para aqui a lutar a tentar manter a cabeça direita, os olhos abertos.

Abri aqui esta coisa, porque me disse: (sim!! eu falo comigo, e daí?? é de louco eu sei mas mais louco é aquele que não se diz nada, digo eu que nem psiquiatra sou)

-Oh pah, escreve lá um dos teu devaneios, daqueles textos que consegues escrever tanto para nada dizer!

Fiquei a olhar para isto como um escaravelho olha para uma bola de estrume, (poderia usar a famosa expressão do burro que olha para o palácio, mas não era a mesma coisa) estive aqui a olhar para o ecrã branco mais de dez minutos como se o tempo me fosse dado assim às carradas para que o desperdice a olhar para onde nada há!

Até que dentro da caixa craniana aqui do eu se fez luz, houve uma célulazinha que teve a solução para a escrita desde... coiso!

-Escreve o que estás a passar... ensonado a tentar escrever e a pensar... de certeza que mal nenhum te irá acontecer.
(é a célula falante como nas fábulas do la Fontaine)

Chove, lá em cima estava a nevar está um frio do caraças, a Sexta-Feira nunca mais chega, estou aqui a esperar com pressa olhando para os minutos que teimosamente duram para aí dez às vezes aqueles mais trocistas chegam a durar um quarto de hora.


Agora veio uma pergunta daquelas que são as chamadas "perguntas hameléticas"

Não tem nada a ver com o que escrevi, afinal o que escrevi também não tem nada a ver.



A pergunta é: (dois pontos, parágrafo, travessão)

- O facto de gostar que as moscas se passeiem nas minhas costas (sem t-shirt claro) será que vou ser acusado de praticar zoofilia???

Agora vou dormir, que o meu mal é sono!

Moi même..o Je.

Sem comentários:

Enviar um comentário