maio 14, 2010

Absentia Belli















Toda a gente fala de Paz.
Fala-se de paz como se fosse uma coisa transcendental, mística, divina. Algo que épreciso um esforço descomunal, concentração, oração, meditação, que é preciso um auto-controlo acima da média.

Na wikipédia diz que:
“Paz é geralmente definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de perturbações ou agitação. Derivada do latim Pacem = Absentia Belli”(...)
(...)No plano pessoal, paz designa um estado de espírito isento de ira, desconfiança e de um modo geral todos os sentimentos negativos. Assim, ela é desejada por cada pessoa para si próprio e, eventualmente, para os outros, ao ponto de se ter tornado uma frequente saudação (que a paz esteja contigo) e um objectivo de
vida".(...)


Parece difícil?? Claro que é! Muita gente faz da procura da paz uma obsessão, uma frustração tornando a sua demanda em algo completamente inverso ao que se procura alcançar.

Fala-se de Paz assim... sem mais nem menos, “eu quero é paz” é o que mais se ouve o se lê. Querem, sim, não duvido, mas limitam-se a dizer que querem, pouco fazendo para a ter.

Para mim, Paz é olhar para uma parede branca e ter a certeza que não vou ouvir nada...
Muitas vezes em situações menos boas (porque não há situações más) em que sinto a paz a escorregar-me por entre os dedos como grãos de areia, imagino...

Imaginem comigo:

“Que estão sentados à beira de um lago, que nesse instante se levanta uma tempestade, as aguas começam a agitar-se, as árvores as vergarem-se com a força do vento, as pequenas gotas de agua começam a transformarem-se em granizo que cai cada vez mais...e mais..

O pensamento é sair dali o mais depressa possível, mas não teimosamente sem que se saiba porquê nem para quê, fica-se, ali...
E eis que de repente, que o granizo começa a parar de cair, o vento deixa de ser mais intenso, as aguas começam a acalmar.

Onde estão sentados, sentem o sol aquecer-vos a pele o vento transformou-se em leve brisa, o lago é um espelho de agua...as árvores estão ali, sabe-se que estão porque as vemos, porque outro som não fazem.

Ali, descobrimos...porque não se foi embora quando a tempestade começou e sorrimos, satisfeitos por ter assistido a mais um milagre...daqueles que todos os dias acontecem.”

Paz, essa que vem do interior de cada um, é um estado de espírito, um querer.

E tu?
Que fazes para teres a tua Paz?

Já agora... Namastê.

3 comentários: