dezembro 05, 2009

Ver...

Hoje vou fazer copy paste e depois??? hã??
Após lutas inglórias gente que se lamenta do que vê, do que tem, do que fez e do que faz.
Pessoas que vêem o que não existe e que perante o obvio recusam-se a VER...
o pior cego é o que não quer ver

Diz-se da pessoa que não quer ver o que está bem na sua frente. Nega-se a ver a verdade.

Em 1647, em Nimes, na França, na universidade local, o doutor Vincent de Paul D'Argent fez o primeiro transplante de córnea em um aldeão de nome Angel. Foi um sucesso da medicina da época, menos para Angel, que assim que passou a enxergar ficou horrorizado com o mundo que via. Disse que o mundo que ele imaginava era muito melhor. Pediu ao cirurgião que arrancasse seus olhos. O caso foi acabar no tribunal de Paris. Depois chegou ao Vaticano. Angel ganhou a causa! teve os olhos arrancados e entrou para a história como o "cego que não queria ver"

É de lamentar que tanta gente só veja defeitos nos outros...
A teimosia de não querer aprender! de ser humilde.
Lamentar a forma intolerante que se VÊ...

"Os meus olhos são uns olhos,
e é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos,
onde outros, com outros olhos,
nao vêem escolhos nenhuns.

Quem diz escolhos, diz flores!
De tudo o mesmo se diz!
Onde uns vêem luto e dores,
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.

Pelas ruas e estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros gnomos e fadas
num halo resplandecente!!

Inutil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos!
Onde Sancho vê moinhos,
D.Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos!
Vê gigantes? São gigantes!"


António Gedeão, in "Movimento Perpétuo", 1956

E com já estou habituado a VER... o que os outros não vêem... Pois os olhos são os meus...
e mais não digo...

O Jack

Sem comentários:

Enviar um comentário