agosto 31, 2009

Era uma vez....

Tinha chegado aos dezoito anos!!
Sempre estivera na aldeia onde ajudava o pai no campo
guardava as ovelhas ao mesmo tempo que lia um livro que todos os meses
vinha das Seleções Reader`s Digest.
Tinha amigos como um rapaz normal!!! não era forte nem era bonito
mas tinha a faculdade de de fazer rir toda a gente qualidade que lhe permitia
ter grandes amizades e ser conhecido na freguesia!

Chegou a maior idade, recebeu a convocação da junta que teria que ir a Coimbra
Fazer a inspecção para ir ou não à tropa!
Ficou contente seria desta vez que iria à cidade, que iria ver com os seus olhos
aquilo que tanto lera nos seus livros.

A Cidade.

E assim, chegou o dia com as guias de marcha na mão lá entra ele na camioneta
que o levaria à Lusa Atenas.
Ia sozinho, era o único rapaz da aldeia, mas depressa fez conhecimentos com rapazes
de freguesias vizinhas.
Chegados alugaram um quarto na pensão Madeira, era perto bastava atravessar a ponte
e subir um pouco estava no quartel em Santa Clara.
O dia passou-se bem sem nada de mais ele era um rapaz saudável assim sendo
as perguntas eram poucas, não se sentia à vontade, apesar de fingir com umas graçolas
mas estava nervoso.

A cidade!...os prédios as pessoas que passavam umas pelas outras como se de sacos
de batatas se tratassem...caladas, cabisbaixas, tristes, olhares vazios.
Não estava habituado a isso! sempre sentira o calor humano de um sorriso que fosse
mesmo que não desse a salvação...

A noite chegou, os rapazes mais vivos começaram a dizer que tinham que ir à rua Direita
perguntou a um que é que havia lá nessa rua e o que recebeu em troco foi uma gargalhada
de gozo.
Ele foi arrastado pelos outros com aquelas frases que se dizem
-Não tenhas medo!
-Não és homem nem és nada!
-Vamos a elas!

Um conhecido chegou ao pé dele e disse-lhe
-Vai com ela que é só três contos!! vai que eu espero-te aqui!
Seria a primeira vez que iria estar com uma mulher!
Foi...como um autómato, com medo que se rissem dele,
ela pediu-lhe o dinheiro e ali em baixo de uma escada fez pela primeira vez sexo!

Seria assim??
Aquilo que lera nos livros!!! que estar com uma mulher era uma coisa fabulosa! fantástica!

O que sentiu foi frio! sujidade! miséria, falta de dignidade!...
Não se sentiu mais homem do que era antes, mas sentiu o que não queria sentir outra vez.

O Jack

1 comentário:

  1. Simples, explicito e muito sentido, é a realidade de quem acorda para a vida contudo não da forma sonhada ou desejada...gostei de te ler..bj

    ResponderEliminar