agosto 31, 2009

Era uma vez....

Tinha chegado aos dezoito anos!!
Sempre estivera na aldeia onde ajudava o pai no campo
guardava as ovelhas ao mesmo tempo que lia um livro que todos os meses
vinha das Seleções Reader`s Digest.
Tinha amigos como um rapaz normal!!! não era forte nem era bonito
mas tinha a faculdade de de fazer rir toda a gente qualidade que lhe permitia
ter grandes amizades e ser conhecido na freguesia!

Chegou a maior idade, recebeu a convocação da junta que teria que ir a Coimbra
Fazer a inspecção para ir ou não à tropa!
Ficou contente seria desta vez que iria à cidade, que iria ver com os seus olhos
aquilo que tanto lera nos seus livros.

A Cidade.

E assim, chegou o dia com as guias de marcha na mão lá entra ele na camioneta
que o levaria à Lusa Atenas.
Ia sozinho, era o único rapaz da aldeia, mas depressa fez conhecimentos com rapazes
de freguesias vizinhas.
Chegados alugaram um quarto na pensão Madeira, era perto bastava atravessar a ponte
e subir um pouco estava no quartel em Santa Clara.
O dia passou-se bem sem nada de mais ele era um rapaz saudável assim sendo
as perguntas eram poucas, não se sentia à vontade, apesar de fingir com umas graçolas
mas estava nervoso.

A cidade!...os prédios as pessoas que passavam umas pelas outras como se de sacos
de batatas se tratassem...caladas, cabisbaixas, tristes, olhares vazios.
Não estava habituado a isso! sempre sentira o calor humano de um sorriso que fosse
mesmo que não desse a salvação...

A noite chegou, os rapazes mais vivos começaram a dizer que tinham que ir à rua Direita
perguntou a um que é que havia lá nessa rua e o que recebeu em troco foi uma gargalhada
de gozo.
Ele foi arrastado pelos outros com aquelas frases que se dizem
-Não tenhas medo!
-Não és homem nem és nada!
-Vamos a elas!

Um conhecido chegou ao pé dele e disse-lhe
-Vai com ela que é só três contos!! vai que eu espero-te aqui!
Seria a primeira vez que iria estar com uma mulher!
Foi...como um autómato, com medo que se rissem dele,
ela pediu-lhe o dinheiro e ali em baixo de uma escada fez pela primeira vez sexo!

Seria assim??
Aquilo que lera nos livros!!! que estar com uma mulher era uma coisa fabulosa! fantástica!

O que sentiu foi frio! sujidade! miséria, falta de dignidade!...
Não se sentiu mais homem do que era antes, mas sentiu o que não queria sentir outra vez.

O Jack

agosto 28, 2009

Sabes??!!!



-Sabes aqueles dias em que parece que tudo de cai cima?

aquelas alturas em que toda a gente se lembra de cobrar

o que fizeste e o que não fizeste??

Sabes aqueles momentos em que te apetece sair e não mais voltar?

(Silencio)

-... Não... não sei!!!!

-Pois!! eu também ja assim fui!!!

agosto 11, 2009

Sei lá!!!!

A vida,
já nem sei se conte histórias ou contos!
Nem sei se o que digo é uma verdade falsa
Ou uma mentira verdadeira...

O Jack

agosto 05, 2009

Eu?!! Porquê??!!!


Inspirado numa conversa de uma mesa ao lado na esplanada.

-Foste tu!!!!
- Eu?? porque dizes isso?
-Porque sei!!!
-Mas eu nada fiz, estás a acusar sem que eu saiba o que se passa!
-Foste tu sim!!! disseram-me!
-Ah disseram-te!!! muito bem! é mais fácil acreditar em quem não
se conhece de lado nenhum, não é?
-Mas tu nada dizes em tua defesa!!
-Nada tenho a dizer, estou a ser acusado de algo que desconheço
e que nem sei sequer porque me acusas!
-Mas defende-te argumenta, grita, discute, diz palavrões, acusa também!

-Não... eu não tenho que me defender, tu conheces-me, és tu que me estás a acusar sobre uma coisa que te disseram, nada tenho a defender ou ofender...disseram-te algo que tu tomaste como verdade,
és livre de pensar o que querias de acusar quem te der na real gana mas não digas para me defender de uma coisa que não me atinge.
-És um mole!!! um cobarde!!! de nada serves!!!
-Isso...
-Pois és, podem dizer o que lhes bem apetecer que tu nada fazes!
-Culpa-os agora... não sacudas a agua do capote agora, tu acusas...
depois sou eu que nada valho!!!
-...

-Vai...deixa-me em paz, vai viver as tuas amarguras e frustrações para longe, não fui eu, sou eu que te estou a dizer.
Pena...sim...é pena que basta alguém dizer que fulano fez assim, para que se acredite, acusa-se gratuitamente, não interessa se se conhece ou não...que se lixe...é preciso é acusar, ter motivo para
se discutir...com se prazer ali houvesse.

-Foste tu!!
-Sim fui eu se isso te deixa contente, se te alivia...
se assim paras de querer discutir, se assim me deixas descansado.
Sim..eu que nada fiz...me rendo para que seja eu...que num passado alternativo, tenha feito isso que me acusas...
Mas agora deixa-me.Deixa-me com a lua...
Deixa-me que me acusem de lunático...que ali sim não vou
desmentir...nem sequer dizer nada contra.

O Jack