julho 26, 2009

Não...






















Não...

Não tentem entender-me...
Nem eu me entendo
Por vezes sou... outras não sou.
sou agua no deserto, sou sol do meio dia abrasador,
Sou a pedra dura que está no leito de um rio há anos que a por mais água que lhe passe só fica molhada por fora...
Sou a manteiga no verão...o mel
Sou acido como o vinagre...
Não me queiram compreender eu sou bicho do mato, fujo, assusto-me... tenho medo.
Sou um ponto de interrogação que tudo que saber, que tudo quer entender, que quer... e quer...
Sou uma incógnita de uma equação qualquer...sou o resultado de uma conta fácil de somar.
Sou uma afirmação com duvidas, sou uma interrogação com certezas...
Não... por favor não queiram saber quem sou...se nem eu sou capaz de me definir...
Sou homem... sou um menino grande...
Sou eu, sou tu, sou o átomo...sou o universo.
Sou feliz e rio-me... fico triste e choro... sim choro e depois?
Por isso não queiram... saber de mim...que nem eu sei...
Perco-me na rua encontro-me na próxima esquina...
Sou eu... e não me mudem...
Por favor...


O Jack

Sem comentários:

Enviar um comentário